Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Consórcio Chimarrão vai investir R$ 2,4 bilhões no Rio Grande do Sul

Publicação:

Reportagem do Jornal do Comércio de 11/03/2019
Reportagem do Jornal do Comércio de 11/03/2019 - Foto: Reprodução

[11/03/2019] Um dos mais expressivos investimentos no Rio Grande do Sul nos próximos anos será feito por um grupo com sede na Espanha que adotou um nome que representa bem sua intenção de se inserir no cenário gaúcho: Consórcio Chimarrão. Liderado pela empresa Cymi Construções e Participações, contando ainda com a participação de um fundo de investimentos, o consócio pretende aportar aproximadamente R$ 2,4 bilhões em várias estruturas de transmissão de energia no Estado.
O grupo arrematou, em dezembro, o lote 10 do leilão de transmissão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com oferta de R$ 219,5 milhões, deságio de 42,38% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) inicial. O conjunto de obras compreende oito linhas de transmissão, que somam 925 quilômetros de extensão, duas subestações de energia, além de pequenos trechos ligando subestações a outras linhas de transmissão.
Serão abrangidos com os empreendimentos os municípios de Amaral Ferrador, Arroio dos Ratos, Barão do Triunfo, Camaquã, Candiota, Canguçu, Capão do Leão, Cerro Grande do Sul, Charqueadas, Cristal, Dom Feliciano, Eldorado do Sul, Encruzilhada do Sul, Gravataí, Guaíba, Mariana Pimentel, Montenegro, Nova Santa Rita, Pelotas, Pinheiro Machado, Piratini, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar, São Jerônimo, São Lourenço do Sul, Sapucaia do Sul, Sertão Santana, Triunfo, Turuçu. De acordo com a diretora comercial da Cymi, Tatiana Vaccani, a assinatura do contrato de concessão com a Aneel deve ocorrer no próximo dia 22 de março. O prazo para conclusão dos complexos é de 48 meses e a expectativa é que sejam gerados em torno de 6 mil postos de trabalho com as obras. Tatiana adianta que a prioridade será a contratação de mão de obra local para as atividades de campo.
Esses projetos, inicialmente, faziam parte de um bloco maior de empreendimentos que tinham sido arrematados pela Eletrosul em um leilão disputado em 2014. Contudo, a estatal não teve condições financeiras de ir adiante com as iniciativas, que acabaram sendo relicitadas. Tatiana comenta que o Consórcio Chimarrão assinou um acordo com a Eletrosul para aproveitar o trabalho prévio feito por essa empresa quanto ao processo de licenciamento ambiental.
O Grupo Cymi possui sede em Madri e iniciou suas atividades em 1962. Em 2003, foram incorporados pelo Grupo ACS, uma das maiores empreiteiras do mundo e cujas atividades principais concentram-se em construção, serviços industriais e concessões de infraestrutura. A companhia está presente em mais de 15 países pelo mundo e no Brasil começou a operar no ano de 2002, atuando na concessão e construção de linhas de transmissão de energia e subestações.

Fonte: Jornal do Comércio

InvestRS