Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Agronegócio e Agrotecnologia

Historicamente o Rio Grande do Sul é o celeiro do Brasil, sendo pioneiro e protagonista em grande parte da produção de alimentos e bebidas do país. Aproveitando esse potencial e pensando no futuro, nosso Estado investe em tecnologia para o campo.

Assim, o Rio Grande do Sul destaca-se em agricultura de precisão e na produção de máquinas e implementos que servem ao setor, além de oferecer excelente estrutura de pesquisa, desenvolvimento e inovação, envolvendo universidades, institutos de pesquisa, parques e polos tecnológicos, e incubadoras.

Ainda é relevante destacar que somos sede de algumas das maiores feiras de agroindústria da América Latina, como por exemplo a Expointer, em Esteio, a Expodireto, em Não-Me-Toque, e a Festa da Uva, em Caxias do Sul, todas com perfil internacional.

Safras e Rebanhos

Criação de ovelhas
Criação de ovelhas - Foto: Divulgação

Safras 2016

Em termos de produção agrícola, soja, trigo, uva, maçã e fumo são algumas das produções gaúchas mais relevantes, nacional e internacionalmente. As safras do Rio Grande do Sul representaram, em 2016, em relação ao Brasil:

  • 70,63% da produção de arroz - 7.493.431 toneladas (1º lugar)
  • 73,53% da produção de aveia - 650.066 toneladas (1º lugar)
  • 10,85% da produção de batata inglesa - 426.707 toneladas (3º lugar)
  • 57,34% da produção de centeio - 3.714 toneladas (1º lugar)
  • 42,72% da produção de cevada - 159.797 toneladas (2º lugar)
  • 48,25% da produção de fumo - 325.152 toneladas (1º lugar)
  • 10,05% da produção de girassol - 7.779 toneladas (3º lugar)
  • 46,34% da produção de maçã - 485.466 toneladas (2º lugar)
  • 16,87% da produção de soja - 16.206.334 toneladas (3º lugar)
  • 37,94% da produção de trigo - 2.541.889 toneladas (2º lugar)
  • 16,15% da produção de triticale - 8.171 toneladas (3º lugar)
  • 42,51% da produção de uva - 413.640 toneladas (1º lugar)

Efetivos pecuários

No que tange à pecuária, aproveitando-se das vantagens naturais do Bioma Pampa e da grande capacidade de pesquisa e assimilação tecnológica que o Estado detém, destacam-se as produções de leite, ovos, suínos e aves. Por sua vez, a carne bovina, um dos mais tradicionais produtos pecuários do RS, mantém como diferencial a qualidade e o perfil premium, especialmente se comparado com produtos similares do restante do Brasil. Quanto aos rebanhos, a representatividade do RS em relação ao Brasil, em 2015, foi de:

  • 6,4% do rebanho bovino - 13.737.316 de cabeças (6º lugar)
  • 21,5% do rebanho ovino - 3.957.275 de cabeças (1º lugar)
  • 14,7% do rebanho suíno - 5.948.537 de cabeças (3º lugar)
  • 10,3% dos efetivos de aves - 135.750.392 de cabeças (3º lugar)

Já quanto aos produtos derivados de origem animal, a produção gaúcha, em relação à brasileira, foi de:

  • 91,9% da lã produzida - 10.035.571 quilos (1º lugar)
  • 8,8% dos ovos - 331.079 mil dúzias (4º lugar)
  • 13,1% do mel - 4.962.356 quilos (2º lugar)
  • 13,1% do leite produzido - 4.599.925 mil litros (3º lugar)

Vitivinicultura

O RS é o principal Estado produtor de vinho e espumantes no Brasil, chegando a representar aproximadamente 90% do total. Além do tradicional polo vinícola da Serra Gaúcha, há diversos outros centros de produção em desenvolvimento, como as regiões da Campanha, Campos de Cima da Serra e Serra do Sudeste, por exemplo.

A representatividade do Estado para o setor nacional se evidencia ainda mais por termos em nosso território a sede da principal entidade representativa do setor no Brasil, o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). A entidade é responsável pela promoção e representação dos interesses do setor no país e no mundo. O Ibravin, juntamente com a Apex-Brasil, mantém o projeto setorial Wines of Brasil, que atua justamente na projeção do vinho local para mercados internacionais.

Quanto à produção, em 2017 o RS foi responsável por produzir 49,31 milhões de litros de vinhos finos, 254,15 milhões de litros de vinhos de mesa e 182 milhões de litros de outras bebidas derivadas de uva, totalizando uma produção total de 485,44 milhões de litros. As uvas mais utilizadas são Chardonnay, Moscato Bianco e Riesling Itálico (uvas brancas) e Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat (uvas tintas).

Produção de vinhos e derivados do RS
Produção de vinhos e derivados do RS - Foto: Reprodução

Quanto à comercialização, as empresas do RS comercializaram, em 2016, 19,2 milhões de litros de vinhos finos, sendo 4,1 milhões de litros de vinho branco, 0,2 milhões de litros de vinho rosado e 15 milhões de litros de vinho tinto. Em termos de vinhos de mesa, foram 165,9 milhões de litros comercializados em 2016, sendo 18,7 milhões de litros de vinho branco, 1,4 milhões de litros de vinho rosado e 145,9 milhões de litros de vinho tinto.

Vinhedos na Campanha
Vinhedos na Campanha - Foto: Divulgação Ibravin

Espumantes

Vinícola na Serra Gaúcha
Vinícola na Serra Gaúcha - Foto: Divulgação Ibravin

No ano de 2016, registrou-se uma comercialização de 16,9 milhões de litros (144% a mais do que em 2006) da bebida fabricada no RS, sendo 4,5 milhões de litros de moscatel e 12,4 milhões de litros de outras variações de espumante.

Outras bebidas gaseificadas atingiram 5,9 milhões de litros vendidos, sendo 4,2 milhões de litros de filtrados doces e 1,7 milhões de litros de vinhos frisantes.

A cidade de Garibaldi, próxima à Bento Gonçalves, é o maior expoente brasileiro de espumantes.

Fonte: Ibravin

Máquinas agrícolas e rodoviárias

Linha de montagem de tratores
Linha de montagem de tratores - Foto: Julio Soares, divulgação Agrale

O RS é o maior produtor nacional desse segmento, com 47,8% da produção nacional. O foco do Estado repousa exatamente no maquinário agrícola: se excluirmos as máquinas rodoviárias desse levantamento e mantivermos apenas as máquinas agrícolas, o percentual de participação do RS na produção nacional sobe consideravelmente.

De acordo com o Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), mais de 65% das fabricantes de máquinas agrícolas do Brasil estão instaladas no Estado, com destaque para empresas como AGCO, Agrale, John Deere, Stara e Mahindra Tratores etc.

Produção de máquinas agrícolas
Produção de máquinas agrícolas - Foto: Reprodução

Fonte: Relatório Anfavea 2017 e Simers

Também é representativo o Arranjo Produtivo Local (APL) Pós-colheita de Panambi e Condor, especializado em equipamentos para recebimento, beneficiamento e armazenamento de grãos. Nas duas cidades, são cerca de 8,5 mil empregados em 80 empresas dos mais variados portes.

Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D&I)

O Estado do Rio Grande do Sul possui ampla rede de P&D&I para a agroindústria, incluindo universidades, centros de pesquisa, parques e polos tecnológicos e incubadoras. Abaixo relacionamos alguns das principais instituições que representam a pesquisa aplicada no Rio Grande do Sul:

  • Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural)
  • Fepagro (Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária)
  • Cientec (Fundação de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul)
  • Irga (Instituto Rio Grandense do Arroz)
  • Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho)
  • Embrapa Uva e Vinho
  • Embrapa Trigo
  • Embrapa Clima Temperado
  • Embrapa Pecuária Sul
  • Escritórios regionais da Embrapa no RS:
    • Capão do Leão (especializado em arroz irrigado, forrageiras temperadas, fruteiras e hortaliças)
    • Passo Fundo (especializado em aveia, centeio, cevada, arroz, feijão, milho, soja triticale, trigo, videira e abacaxi)
Uso de tecnologia no campo
Uso de tecnologia no campo - Foto: DepositPhotos

Algumas de nossas maiores universidades e centros universitários desenvolvem pesquisas no setor ou em atividades relacionadas. O Estado conta ainda com uma série de centros universitários regionais, representados pelo Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas, que pode ser contatado para mais detalhes.

Oportunidades do Setor

    Agrotecnologia - uso de tecnologia no agronegócio
    Agrotecnologia - uso de tecnologia no agronegócio - Foto: DepositPhotos
  • Em geral, há expertise na produção, terras férteis e disposição para assimilação de tecnologias no setor. Entretanto, por se tratar de um setor no qual o perfil do empresário é de micro e pequenas iniciativas, falta capacidade própria de investimento para inovação. Investidores interessados em promover novas tecnologias de produtividade e agregação de valor têm uma grande oportunidade no Rio Grande do Sul.

Oportunidades de parcerias entre empresas

Confira aqui as possibilidades de negócios no setor.

InvestRS